sábado, 23 de maio de 2009

AM em alerta máximo

Ficou claro no 25° Congresso de Radiodifusão realizado nesta semana em Brasília, que o rádio Am passa por um momento delicado. A perspectiva do digital não se confirmou com o sistema americano e o DRM ainda precisa ser testado. Como há uma inclinação dos radiodifusores para o IBOC a saída para o rádio AM talvez seja a de aproveitar os canais adjacentes do FM Digital para colocar as emissoras de AM de novo no páreo da digitalização.

O problema é que nem todo radiodifusor proprietário de rádio AM tem canal em FM. Então o que fazer? O Fórum do Rádio AM, presidido por Hilton Alexandre (proprietário da Rádio do Comércio de Barra Mansa e presidente da Aerj) tenta buscar soluções. São propostas como a criação de um selo de qualidade que permita que o ouvinte de AM possa indentificar, na hora da compra do receptor na loja, quais marcas possuem aparelhos com qualidade de recepção compatíveis com o padrão de sugerido pela ABERT. Outra: que o Governo analise a possibilidade de passar - logo que isso seja viável - o canal de 06 VHF, que será entregue pelas emissoras de TV ao Minicom assim que completar a digitalização, para as AMs poderem virar rádio digital na banda 88,7 de FM.

A preocupação é tanta que já tem radiodifusor estimando quando começará a ficar inviável comercialmente as AMs no Brasil. Para os grandes executivos do meio, em cinco anos o negócio fica inviável. A confirmação desta tese está nas parcerias que começam a aparecer nos grandes centros. No Rio a Super Rádio Tupi começa a operar no FM no dia primeiro de junho, no antigo canal da Nativa FM que ocupará o canal da futura extinta ANTENA UM.

Ricardo Raymundo, diretor artístico das rádios TUPI E NATIVA FM, esclareceu que esta é apenas umas das soluções do Grupo, que também virou rede e já está presente na internet e no iphone da Apple.

Se os gigantes estão se movimentando é bom os pequenos também fazerem o mesmo, aderindo ao Fórum do Rádio Am proposto por Hilton Alexandre e participando das reuniões da Aerj. O email do Hilton é: hilton.comercio@terra.com.br ou então se associem as grandes redes via satélite disponíveis no país. A palavra final é que os proprietários de emissoras AM ou FM precisam se unir e lutar pela sobrevivência do setor. Separados do jeito que estão serão presas fáceis de serem devoradas pela internet, banda larga e pela democratização proposta na Conferência Nacional de Comunicação.

Um comentário:

  1. Concordo plenamente, em gênero número e grau.Mesmo com todas essas medidas e parcerias a internet esta tomando um espaço grandioso e se transformando em uma bela opção para ouvintes e a grande massa que esta conectada 24 horas na internet, sej a nas horas de lazer ou no trabalho.Já existem diversas rádios online de boa qualidade, e cada vez mais estão se estruturando e oferecendo uma programação igual e as vezes até superior que muita emissora já existente no sistema convencional de dial.A BGáudio é uma empresa que proporciona a pequenos empresários e/ou amantes do rádio possam adquirir seu sistema de transmissão de rádio online.Neste link www.orlasul.com.br o internauta pode conferir em qualidade de 64kbps a estabilidade do nosso sistema, inclusive grandes rádios do AM/FM utilizam de nossos serviços.Vamos nos movimentar o rádio não pode parar e também não temos como evitar o crescimento das rádios na internet.

    ResponderExcluir