terça-feira, 9 de junho de 2009

Mais duas comunitárias em Campos?

Soube, por um amigo, que Campos ganhará mais duas rádios comunitárias em breve. Sendo que o processo já teria sido aprovado por Brasília. Uma seria em Travessão e a outra em Guarús. O fato em si não me surpreende quando olho o número de emissoras comunitárias outorgadas pelo Minicom nos últimos anos, dentro do Governo atual.

O que me preocupa é viabilidade das rádios comerciais diante do crescente número de emissoras que não respeitam suas especificações técnicas. A rádio comunitária é importante e deve existir, mas a fiscalização da sua atuação é deficiente e vem trazendo um grande prejuízo para as emissoras comerciais.

Vale dizer que rádios comerciais sempre foram comunitárias, na medida que sempre abordaram os problemas dos bairros, associações, o serviço público prestado, etc...
Caso o governo não dê condições orçamentárias a Anatel, bem como orientação clara no sentido de punir abusos, o rádio comercial pode ir fechando as portas. Isso não é exagero, basta ver a situação das emissoras de Am espalhadas pelo Brasil afora.

Mesmo as FMs estão sofrendo com a concorrência "desleal" daqueles que recebem outorgas e descumprem o que ali está estabelecido. A primeira infração que as "Comunitárias" cometem diz respeito a potência, sempre acima do especificado, a segunda é quanto a comercialização de espaço publicitário, que deve seguir critérios próprios do tipo de concessão.

Creio que o perigo para o rádio comercial não reside na chamada convergência (internet, 3G, confecom, etc...) e nem da demora na adoção de um padrão digital para o setor (que reputo como importante por conta da nova ordem mundial em termos de tecnologia). O perigo está em tirarmos, meio que de forma escamoteada, o ganha pão dessas emissoras que empregam muitos profissionais país afora, comprometendo de vez a sua existência enquanto negócio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário